Fórum de acesso ao sistema suplementar de saúde

O Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos no Estado de São Paulo (Sindusfarma) realizou na última terça-feira (20) o Fórum Acesso ao Sistema Suplementar de Saúde, que reuniu executivos da indústria farmacêutica, de empresas de saúde e consultores.

Os desafios e as tendências na visão da indústria farmacêutica foram apresentados pela diretora de Acesso da Janssen, Lucia Armada; e a diretora de Assuntos Corporativos e Acesso da Novartis, Silvia Sfeir.

Silvia elogiou a inclusão de novos tratamentos no Rol de Procedimentos da Agência Nacional de Saúde (ANS), como medicamentos de via oral para tratamento do câncer de próstata; terapia imunobiológica subcutânea para artrite psoriásica; tratamento para incontinência urinária, entre outros. Sobre as perspectivas futuras, a diretora da Novartis citou o envelhecimento da população como o principal desafio a ser superado e pediu um diálogo amplo para definir as estratégias necessárias.

Para Lucia, da Janssen, o sistema de saúde suplementar brasileiro é robusto. Ela defendeu um modelo de pagamento sustentável a prestadores que privilegie o consumo e a utilização de materiais, observando que os medicamentos representam a menor parte dos custos médicos do sistema. Atualmente, a remuneração se baseia no trabalho médico.

Na mesma linha, o diretor da Mapfre Saúde, Claudio Tafla, disse que o sistema de saúde suplementar brasileiro é muito grande e precisa crescer sustentavelmente, para evitar maiores gargalos no longo prazo.

O ex-diretor da Agência Nacional de Saúde, Bruno Sobral, apresentou a situação atual do sistema de saúde, os gargalos e a necessidade de se adotar novas estratégias para o processo de verticalização.

Foto: Shutterstock




0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo