Erros profissionais protegidos por seguro

Processos decorrentes de erros na área de saúde são cada vez mais comuns. Para proteger os profissionais e instituições, a AIG criou um seguro específico para o segmento, denominado Responsabilidade Civil Profissional para a Área da Saúde. O produto cobre as importâncias financeiras associadas à responsabilidade imputada aos profissionais ou estabelecimentos, como, por exemplo, negligência, imprudência, infecção, falhas de diagnósticos, entre outros. “É notória a importância de profissional e instituição estarem resguardados de eventuais erros, para que isso não comprometa a continuidade dos negócios e de sua própria carreira”, diz o gerente do produto na AIG Brasil, Daniel Lamboy. O seguro cobre, basicamente, as despesas relacionadas a um processo judicial, além de indenizações por danos corporais, materiais, morais, estéticos e existenciais, que deles possam resultar. No universo farmacêutico, os principais problemas são de manipulação de medicamentos, assim como pulsão mal sucedida, recomendação de medicamento errado ou a venda de um fármaco diferente daquele que está na receita. Com o aumento das assistências nas farmácias, uma aplicação de injeção, por exemplo, pode ser mal sucedida. De acordo com Lamboy, não somente o farmacêutico pode se assegurar, mas a farmácia como um todo. Para entender quem deve ter a apólice, é importante pensar não em quem causou o erro, mas em quem será responsabilizado. Se o processo será contra a farmácia, a apólice deve ser de pessoa jurídica, mas se o farmacêutico for responsabilizado pessoalmente, o seguro deve ser feito em seu nome. O executivo finaliza dando algumas dicas para evitar que os erros aconteçam. “Despender tratamento pessoal, cordial e humanizado; manter bom relacionamento com pacientes; alertar sobre benefícios, riscos e possíveis efeitos colaterais de tratamentos e medicamentos”. Fonte: AIG Seguros Foto: Shutterstock

2 visualizações0 comentário