Cuidados contra doenças respiratórias no inverno

O inverno é marcado não só pelas baixas temperaturas, mas pela baixa umidade do ar. Os dois fatores fazem com que mais pessoas sejam acometidas por gripes e resfriados, além dos pacientes com doenças respiratórias crônicas, como asma e Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC), ter mais chances de sofrer com crises, caracterizadas pelo agravamento dos sintomas e maiores chances de hospitalização e impactos na qualidade de vida.

O diretor da Comissão de Infecções Respiratórias da Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia, Dr. Mauro Gomes, comenta os principais sintomas da DPOC. “Cansaço excessivo, falta de ar, tosse frequente e catarro podem ser indícios da DPOC, caracterizada por duas patologias diferentes. A bronquite, que é inflamação dos brônquios, e o enfisema pulmonar, responsável pela destruição de células do pulmão”.

Já as gripes e os resfriados podem representar um perigo para as pessoas que já sofrem com doenças respiratórias crônicas. Isso porque as doenças causam impactos no sistema respiratório do paciente, com maior produção de catarro e coriza, deixando-o ainda mais debilitado do que uma pessoa saudável.

“É importante manter uma alimentação equilibrada e participar das campanhas de vacinação contra a gripe, que costumam ocorrer durante o período”, explica o Dr. Mauro. Em pacientes com DPOC, a vacinação reduz a mortalidade em cerca de 70%. “Por ser uma doença que afeta principalmente pessoas idosas, que tem o sistema imunológico mais fraco, é importante prevenir gripe e pneumonia”.

Fonte: Assessoria de Imprensa Boehringer Ingelheim (Edelman) Foto: Shutterstock

#doençasrespiratórias #inverno

0 visualização0 comentário