Como controlar o fluxo de caixa?

Para que uma empresa seja bem sucedida, é necessário que haja organização financeira. Uma grande ajuda nesse processo é o fluxo de caixa, que apura e projeta o saldo disponível para que haja sempre capital de giro, seja para aplicação ou eventuais gastos.

Para o fluxo de caixa ideal, devem ser registrados todos os recebimentos (vendas à vista e a prazo e recebimento de duplicatas, entre outros) e todos os pagamentos (compras à vista e a prazo, pagamentos de duplicatas, pagamento de despesas e outros pagamentos) previstos, até o último pagamento e recebimento conhecido.

Com isso, o empresário tem uma visão de presente e futuro, avaliando a disponibilidade de caixa e liquidez da empresa. A partir daí, é possível antecipar algumas decisões importantes, como a diminuição das despesas sem o comprometimento do lucro, o planejamento de investimentos, a organização de promoções para desencalhe de estoque, o planejamento de solicitação de empréstimos, a negociação para uma dilatação de prazo com fornecedor, entre outros.

Como desenvolver o fluxo de caixa?

1. Lançar no “contas a pagar” e “contas a receber” os compromissos já assumidos e os valores a receber, já conhecidos ou facilmente estimados.

2. Estimar despesas ainda não lançadas, como impostos, contas de água, luz, folha de pagamento etc.

3. Nas vendas à vista, usar como base a média diária das vendas realizadas normalmente. Considerar, também, os meses de movimento mais forte ou mais fraco para a média. Ser conservador ajuda no controle diário de receitas e despesas.

O saldo final do fechamento de caixa deve corresponder ao valor dos recursos disponíveis no caixa da empresa ou depositados em contas corrente.

Fonte: Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae)

Foto: Shutterstock

#controlefinanceiro #fluxodecaixa

0 visualização0 comentário